Sábado, 23 de Janeiro de 2010
Teófilo Braga

 

 

 

Joaquim Fernandes Teófilo Braga nasceu nasceu a 24 de Fevereiro de 1843 em Ponta Delgada ilha de S.Miguel, nos Açores. Com a morte da mãe começou a trabalhar bastante cedo como tipógrafo. Tirou o curso de Direito na Universidade de Coimbra onde foi contemporâneo do poeta Antero Quental. Doutourou-se em 1868, e publicou estudos sobre literatura como a História da Poesia Popular Portuguesa, o Romanceiro Geral. Em 1872 tornou-se catedrático de Literaturas Modernas. Dedicou-se vários anos ao estudo da doutrina de Comte, tornou-se defensor do Positivismo e publicou vários ensaios e artigos em que desenvolveu as suas teses. Dirigiu também as revistas Positivismo, com Júlio de Matos, e Era Nova, com Teixeira Bastos. Participou na organização do Tricentenário de Camões em 1880, que foi afinal a primeira grande manifestação pública de republicanismo. No mesmo ano, publicou a História das Ideias Republicanas em Portugal. As suas obras e a sua acção política tornaram-no alvo de perseguições, mas apesar disso manteve-se sempre firme na defesa dos seus ideais. Ainda durante a monarquia assumiu os cargos de Vereador da Câmara Municipal de Lisboa e de membro do Directório do Partido Republicano Português, de que era presidente quando se deu a revolução do 5 de Outubro.
Foi escolhido para chefe do governo provisório com funções de presidentesda républica, sendo o seu governo responsável pela escolha da bandeira nacional a 29 de Novembro de 1910 e A Portuguesa como hino nacional. Após a aprovação da Constituição foi deputado e, a 14 de Maio de 1915 foi eleito Presidente da República. Assumiu as funções de Chefe de Estado de forma simples e despretensiosa, retomando as suas actividades de investigador quando concluiu o mandato.
A sua obra constitui uma verdadeira enciclopédia da História da Literatura Portuguesa, pois deixou 360 trabalhos publicados.
Teófilo Braga morreu em Lisboa com 80 anos em 1923.


Publicado por CVS às 21:32
| Comenta |

Menu

 

 

Post's Recentes

Egas Moniz

Teófilo Braga

Afonso Augusto e Costa

Fernando Pessoa

Arquivo

Janeiro 2010